12 maio 2007

A responsabilidade dos pais

Muitos pais dão muito aos seus filhos, menos a si mesmos. A vida pós-moderna é cheia de atividades e compromissos. Quanto mais lutamos para ter tempo, mais nos afundamos em serviços e assumimos outras responsabilidades. A nossa ausência do lar não pode ser recompensada com presentes. A presença dos pais na vida da criança é um presente insubstituível! A falta de atenção gera carência, que provavelmente produzirá problemas futuros. Entretanto, podemos conversar e organizar o nosso tempo, e um período na semana para desfrutarmos com toda a família. Além do domingo, que é o Dia do Senhor, que passamos em família, precisamos tirar um período para atividades com/para a família.

Muitos pais se preocupam em garantir aos seus filhos o melhor estudo possível. Entretanto, a melhor educação para a vida é omitida. O erudito pastor presbiteriano Donald G. Barnhouse disse que "é muito maior negligência dos pais deixar uma criança crescer sem Cristo do que deixá-la crescer analfabeta." As crianças têm mais necessidade de modelos do que de críticos. Por isso, os pais necessitam pelas suas vidas demonstrar como eles devem amar ao Senhor Jesus. Ensina-se a fazer, fazendo. Geralmente, os pais se preocupam em ensinar, ou pagam para que alguém eduque os seus filhos, como eles podem ganhar dinheiro e serem bem sucedidos nesta sociedade competitiva. Mas, ignoram, ou esquecem de que dinheiro não é sinônimo de felicidade. Devemos preparar os nossos filhos para que saibam viver na sociedade, tenham o seu sustento honesto, formem as suas famílias, sejam cidadãos exemplares, e que em tudo isto tenham o temor de Deus regendo a sua vida. Sem Cristo não há educação aprovada por Deus.

Há pouca esperança para as crianças educadas de maneira ímpia. Um lar onde tudo é permitido é um lar onde não se ama o suficiente para se exercer a autoridade conferida por Cristo. Pais cristãos não podem impor sobre os seus filhos a crueldade de permitir-lhes fazerem tudo o que quiserem. Pois, um dos maiores meios de graça na vida de uma criança é o cumprimento bíblico da disciplina. As crianças precisam de amor, principalmente quando não o merecem; e, este amor é mais do que afetividade, envolve a firmeza necessária da correção para inibir o pecado que surge no pequeno coração da criança. Tudo o que fizermos hoje no temor do Senhor, no futuro eles saberão que o fizemos por amor a eles.

Nenhum comentário: