09 novembro 2006

O peso da culpa

A consciência é muito interessante, funciona como um dispositivo automático da culpa. Este sentimento é um incomôdo acusador da nossa alma. Causa desde leves lembranças até mesmo angústias enlouquecedoras para as pessoas mais sensíveis.

Pessoas que estão erradas se armam. Tentar disfarçar, mentir, evitar, fugir, agredir, adotar uma postura de vítima, ou contaminar outros com amargura gerada pela culpa são recursos muito comuns para tirar o foco do lugar onde o pecado está arraigado. Entretanto, o prazer da vingança não consegue eclipsar a vergonha do erro.

A consciência pode ser cauterizada, e o sentimento de culpa anulado, mas enquanto não houver arrependimento e confissão de pecado, a culpa estará presente. Conseqüentemente, um círculo de não-graça será estabelecido e criará um ciclo vicioso de ofensa-dor-amargura-inimizade-culpa.

Lance fora toda a amargura, medo, vergonha e culpa, pare de esconder-se das pessoas, pare de fugir do propósito de Deus para a sua vida. A essência da graça está na aceitação. Deus nos aceita quando nos humilhamos e confessamos arrependidos dos nossos pecados (1 Jo 1:9). O Senhor Jesus disse: quem vier a mim eu jamais rejeitarei (Jo 6:37b).

Nenhum comentário: