19 setembro 2010

Herança do Senhor

O Senhor deu-nos filhos lindos! Posso parecer meio coruja, mas tenho minhas razões para sentir-me satisfeito com a herança que o meu Deus me deu. Eles são inteligentes, alegres e saudáveis! Até hoje nunca perdemos uma noite de sono por causa de enfermidade, nem tivemos o sofrimento de correr para o hospital. Deus é excedentemente gracioso conosco e somos muitíssimo gratos à Ele.

Eu e minha esposa temos nos dedicado a orar por eles, instruí-los no caminho do Senhor, sob a autoridade da Palavra de Deus, e encaminhá-los ao convívio do povo de Deus. Esforçamo-nos em sermos sinceros e verdadeiros em nosso testemunho cristão, e de vivermos o amor de Cristo, o nosso Senhor em nosso lar. Na correção falamos com amor, e lembramos que os seus erros não são apenas deslizes da imaturidade, mas são pecados contra Deus, e contra nós, enquanto pais (ÊX 20:12). Quando pecamos, e eles entendem e percebem, procuramos conversar e demonstrar que infelizmente também somos pecadores, e nos envergonhamos de nosso procedimento pecaminoso. E quando necessário lhes pedimos perdão pelo nosso mau testemunho. Eles sabem que não somos perfeitos e não temos como esconder isto, mas que amamos e buscamos a santidade de Deus, arrependemos pelos seus próprios pecados, e continuamente buscamos a transformação e crescimento no amor de Cristo. Clamo a Deus que nenhum de nossos pecados prejudique os nossos filhos, de modo que sejamos escândalo e motivo de tropeço.

Temos sempre pensado em como educar os nossos filhos. Embora a Rebeca e o João Marcos têm idade aproximada um do outro, menos de 2 anos, nos preocupamos em como acompanharmos o seu desenvolvimento individual, e adaptarmos o método de ensinar e corrigi-los. Eles estão descobrindo as coisas, pela nossa conversa, pela TV, pelos irmãos da igreja, pelos parentes, pelos coleguinhas da escola, e pelos outros conhecidos em diferentes lugares. Muita informação e valores são expostos à eles. A Escritura nos adverte que "não vos enganeis: as más conversações corrompem os bons costumes" (1 Coríntios 15:33). Sabemos que eles são pecadores, e como todos nasceram pecadores, e que a sua tendência será a inclinação para o pecado. Por isso, precisamos treiná-los a amar e temer ao Senhor. Eles devem saber o que é certo e errado, não é uma questão apenas de afirmar uma moral do lar, mas a ética do Reino de Deus, do qual eles são filhos da aliança.

Eu temo e tremo apenas em pensar na possibilidade de que os meus filhos possam não amar ao Senhor! Se isto acontecer será uma das maiores angústias da minha alma. Em minhas orações sempre derramo o meu mais sincero anseio diante do meu Deus: que Ele os converta o quanto antes, e faça-os andar diante dEle. Antes mesmo deles nascerem, eu e Vanessa orávamos para que o Senhor nos desse filhos crentes, filhos da aliança. A minha preocupação não é de que os meus filhos me envergonhem, enquanto pastor, mas desonrem o Nome do nosso amado Deus com os seus pecados e dureza de coração! Acima deles eu amo o meu Deus, que os deu para nós, para a nossa alegria e para a Sua glória. Por isso, guardo em meus pensamentos a Palavra que me diz "mas a misericórdia do SENHOR é desde a eternidade e até a eternidade sobre aqueles que o temem, e a sua justiça sobre os filhos dos filhos; sobre aqueles que guardam a sua aliança, e sobre os que se lembram dos seus mandamentos para os cumprir" (Salmo 103:17-18).

Tudo o que somos e temos pertence ao nosso Deus. O nosso relacionamento, o nosso trabalho e os bens que acumularmos durante toda a nossa vida serão nada, se não tivermos o prazer de ver os nossos filhos vivendo para o Senhor Jesus. A nossa real herança são eles, e eles para Deus.

"Eis que os filhos são herança do SENHOR, e o fruto do ventre o seu galardão."
(Salmos 127:3)

2 comentários:

Casal 20 disse...

Ewerton, como foi bom conhecer o espaço desse seu blog.

Realmente, os desafios de se educar os filhos são muitos neste mundo que nos sufoca.

Parece mesmo que a concorrência é desleal, mas pura ilusão materialista, pois pela fé criamos nossos filhos sem temer o decreto do rei (Hb 11: 23).

Esperamos continuar a ser edificados por posts como este.

Abraços sempre afetuosos.

Anônimo disse...

Sr. Ewerton, realmente os filhos são bençãos dos céus em nossas vidas.Tenho 5 filhos e sei disso. Precisamos ser sábios em ouvir os conselhos de Deus para que não se transformem em maldição.
Lembre-se que "a quem muito for dado, muito será exigido", e divida com os outros essas dádivas divinas, ensinado seus filhos a compartilhar, servir e amar ao próximo. A caridade é o puro amor de Cristo porque ela é atitude.
Felicidades!!!