21 maio 2009

Eu creio em pessoas

Não podemos ignorar que são pessoas que atraem pessoas. É errado pensar que pessoas vêem aos nossos cultos porque temos um excelente templo, estacionamento, ar condicionado, salas de aula, confortáveis assentos, e etc.. É tolice alimentar esta superficial conclusão! Em termos de estrutura física existem comunidades melhores do que a nossa. A verdade é que pessoas permencem na igreja local porque se identificam com outras pessoas, que têm os mesmos valores, interesses e desejo de servir a Deus. Elas carecem ser bem recebidas. São pessoas que amam pessoas, e percebem convincentemente que são amadas. Não há dúvidas que o amor atrai e consolida relacionamentos, especialmente quando este vínculo é estabelecido no amor de Cristo Jesus.

São pessoas que Deus usa para instruir pessoas. As pessoas que chegam ao nosso meio ficam, porque se identificam com os nossos valores. O culto centralizado em Deus, a centralidade da Palavra de Deus decidindo tudo o que cremos e fazemos, a nossa submissão à autoridade da soberania de Deus em sustentar e dirigir todos os eventos em nossa vida. Todavia, apenas gostar do nosso estilo de ser igreja não basta, é absolutamente necessário que entendam que a nossa identidade surge da herança Reformada do século dezesseis. Assim, precisamos ensiná-las não somente a nossa história, mas, quais são as nossas crenças, os nossos valores, a nossa ética, o que é ser calvinista, o que é ser presbiteriano! Não é uma prática apenas teórica, mas, comunicar tudo isto com o nosso coração, com o compromisso vivo de servir e glorificar a Deus acima de todas as coisas, e com tudo o que somos.

São pessoas que refletem a imagem e a glória de Deus. O Senhor Deus nos predestinou, chamou e justificou para a santificação, ou seja, para sermos transformados à imagem de Cristo Jesus (Rm 8:28-29). É viver um grato amor a Deus por tudo o que graciosamente Ele realiza em nosso favor! Também é nossa responsabilidade instruir outros dos nossos irmãos a andarem como Cristo andou. Através do discipulado, do exemplo, da comunhão, do compartilhar da fidelidade do Senhor em nossa vida, e da prática da Palavra de Deus, precisamos manifestar a glória de Deus onde formos e com quem estivermos. Deus usa pessoas, e por isso, Ele fez do seu único Filho uma pessoa como nós, para que se identificasse conosco, e se tornasse o nosso representante, sofresse em nosso lugar, e seja entre nós e o nosso Deus o nosso único mediador, tornando-se o nosso suficiente redentor.

Nenhum comentário: