12 abril 2007

Orando em nome de Cristo

Os crentes no final das suas orações têm o costume de encerrar declarando: em nome de Jesus, amém. É correto que seja assim, pois o próprio Senhor nos instruiu que pedíssemos em seu nome (Jo 14:13-14). O puritano inglês Thomas Watson declarou que “orar em nome de Cristo, não é apenas mencionar o Seu nome na oração, mas esperar e confiar em Seus méritos” (The Ten Commandments, 240). Se pensarmos no nome de Jesus apenas como uma palavra mágica para garantir o sucesso à nossa oração estaremos blasfemando ao misturar superstição com o santo nome do nosso redentor.

O Catecismo Maior de Westminster declara que “orar em nome de Cristo é, em obediência ao seu mandamento e com confiança nas suas promessas, pedir a misericórdia por amor dele; não por mera menção do seu nome, porém derivando o nosso ânimo para orar e a nossa coragem, força e esperança de sermos aceitos, em oração, por Cristo e sua mediação” (CMW, perg./resp. 180). Então, somente teremos acesso às bençãos do Pai, por meio de Jesus, porque Ele é o mediador da nova Aliança. Ele está diante do Pai, e por nós intercede eficazmente, garantindo a providência para todas as nossas necessidades nesta presente vida.

Não temos outro intercessor, nem podemos suplicar para que Maria, a mãe de Cristo, rogue por nós pecadores. Somente Cristo é Deus; apenas Ele sofreu e obedeceu perfeitamente ao Pai; Ele é o único que morreu e ressuscitou em nosso favor; ninguém além dEle sabe o que é sofrer intensivamente a punição no lugar de milhares de pecadores; suficientemente Ele tem todo o poder no céu e na terra, e pode atender as nossas reais necessidades. Por isso, Lucas declara que “não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos” (At 4:12).

Ao orar “em nome de Jesus” não estamos sozinhos. Por causa dos nossos pecados somos incapazes de nos apresentarmos diante do Pai. Ele suplica ao Pai, por nós, como se estivesse pedindo para Si mesmo. Sabemos que o Pai não nega nada ao amado Filho. Quando usamos o nome de Jesus Cristo, em nossas orações, não estamos apenas cumprindo um ritual, mas de fato, suplicamos para que o nosso Senhor faça Sua a nossa oração!

Nenhum comentário: