17 outubro 2008

Você fala palavra torpe?

A Palavra de Deus nos adverte que “não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, e sim unicamente a que for boa para edificação, conforme a necessidade, e, assim, transmita graça aos que ouvem (Efésios 4:29, ARA). A nossa boca é fonte de benção e maldição, mas o apóstolo Tiago nos diz que isto não deveria ser assim (Tiago 3:10). Por isso, devemos cuidar do que sai dela. O termo torpe usado por Paulo significa corrompido (do grego sarprós), e, indica toda palavra ou conversa que em si seja prejudicial, desvirtue ou ofenda os ouvidos de quem a recebe; e, isto envolve desde palavrões, mentiras, até a maledicência.

O Senhor Jesus disse que a boca fala do que o coração está cheio (Mateus 15:18-19). Assim, entendemos que quando uma pessoa fala uma palavra torpe, ou corrompida, ela está manifestando uma condição de corrupção em seu coração, isto é, algo que ainda não foi transformado pelo Espírito Santo (Romanos 3:14). Deste modo, o seu testemunho é falso, porque as suas palavras contradizem a santidade de Deus.

A palavra dura que suscita a ira também é torpe, porque ela corrompe a busca de uma disposição pacífica das pessoas (Provérbios 15:1). Provocar a ira de alguém através da repreensão insensata, ou do grito, ou mencionando algo que desperta um doloroso trauma é pecado, porque estamos provocando uma fraqueza no outro, que provavelmente irá levá-lo a pecar. Em vez, de auxiliá-la em sua santificação, na verdade estamos suscitando pecados que deveriam ser mortificados, daí, corrompemos o outro com a nossa palavra e não edificamos.

Nenhum servo de Deus deve falar o que corrompe. Não devemos mencionar palavrões, contar mentiras, falar mal ou enfatizar os defeitos da vida dos outros, nem contar piadas indecentes, ou que ridicularizem com o nome de Deus. É nosso dever transmitir graça aos que nos ouvem, e não pecado. A nossa conversa deve nutrir as necessidades das pessoas e não corrompê-las. Assim, eu desejo a benção de Deus para a sua vida e graça para você!

4 comentários:

tibunguinho disse...

OI Primo Aqui eh a nadielly !
quanta saudade tenho de ti...
poxa ...tenho saudades da nossa familia!!
de quando reuniamos e brincavamos!!

saiba que eu te amo e nunca irei te esquecer!

Tudo Posso Naquele que me fortalece!

Clóvis disse...

Em 2008 tive o privilégio de contar com suas visitas, comentários, críticas e sugestões ao Cinco Solas. Sou grato a Deus por isso e queria que você soubesse disso.

Eu também tive o privilégio de receber seus emails, interagir com você em fóruns, ler e participar de seu blog e em tudo isso fui grandemente abençoado. Por isso louvo a Deus por sua vida.

Nessa interação, muitas vezes concordamos, outras tanto discordamos e em outras mais discordamos e concordamos. Mas o que resultou para mim não foi apenas o calor da convivência humana, ainda que virtual, mas a luz de novos conhecimentos, novas perspectivas, que moldaram a minha visão de mundo, consolidando às vezes o que eu já pensava ou me levando a revisar meu ponto de vista.

Sendo assim, o que eu posso desejar para mim em 2009? Apenas que pessoas maravilhosas como você continuem comigo nesta curta mas prazerosa jornada para a glória.

Para você, desejo todas as bênçãos de Deus. Que a boa vontade de Deus se cumpra na sua vida e que Sua vida esteja alinhada com a vontade dEle.

Feliz 2009!

Leonardo disse...

Prezado Tokashiki,

Existe um artigo de Vincent Cheung que trata desse texto de Proverbios. Os críticos dele o atacam pela sua "aspereza" valendo-se desse texto. Qual sua opinião?

Um abraço,

Leonardo

Ewerton B. Tokashiki disse...

Caro Leonardo

Conheço o artigo do Cheung sobre o uso cristão de "palavrões"(!?). Discordo da postura dele. Sei que o nosso Senhor usou termos fortes como "raposa", "sepulcros", "hipócratas", e etc.; mas, não acredito que alguém reprovaria o redentor por identificar a motivação do coração dos homens e atribuir nomes aos seus impulsos pecaminosos. Entretanto, em nosso caso, qualquer expressão que saia da nossa boca, e antes resida em nosso coração, de modo pecaminoso, é reprovado diante de Deus! Por isso, prefiro aplicar ao meu coração e às minhas palavras o texto de Salmo 139:19-24.

um forte abraço,
Pr Ewerton